Novas nomenclaturas para executivos

Já foi o tempo em que o diretor executivo da empresa (dono, patrão, chefe) usava em seu cartão de visitas a nomenclatura: proprietário ou gerente. Era comum ver algumas empresas usarem esse tipo de linguagem em seus materiais institucionais. Mas com o avanço dos negócios e do mundo corporativo, as funções de executivos e proprietários de empresas passaram a se encaixar em outro tipo de sigla, os famosos (ou nem tanto assim) C´s.

Como você, diretor ou presidente de marketing gostaria de ser chamado: CMO ou Diretor de Marketing? Eu particularmente prefiro CMO pelo nível de senioridade e poder que essa sigla transmite.

CEO – Chief Executive Officer
Facilmente identificado, é o cara que manda em todo mundo – menos no chairmam (ou presidente do conselho) a menos que ele seja poderosíssimo e acumule as duas funções.
Pode ser chamado de principal executivo, presidente, superintendente, diretor-geral… As pessoas costumam fazer confusão quando a empresa tem os dois, CEO e presidente. Nesse caso a função do segundo é mais representativa.

COO – Chief Operating Officer
Seu nome é executivo-chefe de operações, mas você pode chamá-lo de braço direito do CEO. Enquanto o chefe pensa a estratégia, o COO cuida mais de perto da rotina do negócio.

CFO – Chief Financial Officer
Principal executivo de finanças.

CHRO – Chief Human Resources Officer
Principal executivo de recursos humanos.

CIO – Chief Information Officer
Era mais fácil identificá-lo quando ele era o único executivo responsável pelo planejamento e pela implementação da tecnologia no pedaço. Mas aí surgiu…

CTO – Chief Technology officer
E hoje há muita confusão. Em linhas gerais, o CIO cuida da estratégia por trás da tecnologia – como ele pode mudar a forma como a empresa faz negócios, enquanto o CTO comanda a arquitetura e a infra-estrutura dos sistemas. Há empresas com os dois profissionais.

CKO – Chief Knowledge officer
Também chamado de chief learning officer (CLO), é quem administra o capital intelectual da empresa, reúne e gerencia todo o conhecimento da organização. Entende tanto de tecnologia e processos quanto de pessoas. É um sujeito-chave, por exemplo, nas consultorias.

CRO – Chief Risk Officer
O cargo surgiu quando empresas de todas as áreas, e não somente bancos passaram a se preocupar com a administração de riscos. Além de questões financeiras, o CRO avalia itens como estratégia do negócio, concorrência, legislação e problemas ambientais.

CMO – Chief Marketing Officer
Executivo-chefe de marketing certo? Na subsidiaria brasileira do BankBoston não é tão simples assim. Lá ele cuida também de novos negócios e Intenet.

CIO – Chief Imagination Officer
A fabricante de computadores americana Gateway tem um executivo-chefe de imaginação, responsável por promover a criatividade entre o pessoal.

Essas siglas hoje são usadas por grandes empresas principalmente internacionais. Acredito que até tenha simplificado as funções ou o tipo de atividade dos chefes.

Até a próxima!

Deixe uma resposta