Leituras pra arrasar no ENEM

NADA DE PÂNICO! O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) não selecionou livros para o ENEM 2018 assim, do nada! O negócio é que, mesmo sem obras específicas, nas provas de Português e Literatura sempre são cobrados autores, passagens e até mesmo noções dos movimentos literários.

É complicado prever quais livros podem realmente cair, né? Mas uma coisa a gente sabe: é preciso estar preparado! Isso porque existem pelo menos 3 autores que se destacam por suas obras e importância na literatura nacional, então nada mais justo que deixar algumas informações pra você, fominha, se sair bem na prova!

Carlos Drummond de Andrade

Conhecido nacionalmente por seus poemas, Drummond também escreveu contos, prosas e crônicas. Diversificando tanto em formato, quanto em temática, é um dos maiores destaques da 2ª Fase do Modernismo Brasileiro, também chamado de Geração 30, que consolidou novos valores modernos com temas sociais, nacionais e históricos. Sua publicação que mais aparece nas provas do ENEM é:

Alguma Poesia

Algumas Poesias se destaca entre os livros para o ENEM.

Publicado em 1930, é dedicado ao poeta e amigo Mário de Andrade. Escrito como poema-piada, disfarça sentimentos que o amarguram usando coloquialismos, cultivando a poesia do cotidiano, repudiando tendências parnasiano-simbolistas. A condução do livro é apresentada da seguinte maneira:

O indivíduo

Investida a formação do poeta e sua visão de mundo. Sempre muito lúcido, discorre com amargor, pessimismo, ironia e uma pitadinha de humor que encontra em si mesmo e também nas coisas que o rodeiam.

A família

Fala sobre sua vivência interiorana em Minas Gerais, lugar que definitivamente marca sua memória. Analisa suas relações pessoais sob uma perspectiva também pessoal, além de retratar o escoar do tempo.

O conhecimento amoroso

O amargo é um dos sentimentos mais recorrentes em seus poemas. Em Alguma Poesia o tema é tratado com boas doses de humor, um pouco de sátira e até mesmo algumas pitadas de idealismo.

Paisagem e viagens

Eis uma pequena seleção de poesias sobre suas principais viagens, contando sobre paisagens vistas e também vividas por Carlos Drummond durante toda sua vida.

O social e a evolução dos tempos

O autor constrói poemas que contemplam a mudança dos tempos, com o progresso chegando e invadindo toda a paisagem do agora, da modernidade.

Machado de Assis

Nada mais, nada menos que um dos autores nacionais mais importantes. Suas obras conciliam tanto o Romantismo, quanto o Realismo, sendo mais conhecido pelas publicações realistas, todas marcadas por um forte teor de ironia, críticas à sociedade da época e ao comportamento humano. Usa de referências filosóficas e entre seus livros que mais caem no ENEM, estão:

Memórias Póstumas de Brás Cubas

Memórias Póstumas de Brás Cubas figura entre os livros para o ENEM.

Publicado em 1881, é responsável por inaugurar o movimento realista brasileiro. É narrado em primeira pessoa pelo narrador-observador Brás Cubas, defunto que conta sobre sua morte depois de ter sido vítima de pneumonia, usando muitas vezes do recurso de interlocução, ou seja, falando diretamente com os leitores.

O tempo da obra é cronológico e também psicológico, sendo o primeiro desenvolvido pelos fatos ocorridos na vida de Brás Cubas e o segundo, pertencente às suas memórias e divagações. No que diz respeito ao espaço, a história de desenrola no Rio de Janeiro (bairro da Gamboa) e em Coimbra, Portugal.

Usando ironias, metáforas e eufemismos, Machado faz críticas sociais à elite da época. O livro foge dos padrões clássicos quando não apresenta um final feliz e não segue a linearidade dos fatos. Seus personagens são em sua maioria da elite brasileira, mas figuras de menor prestígio social também aparecem na história.

E uma vez que o narrador está morto, definitivamente vivendo em outro plano, Brás Cubas não se preocupa nem um pouco com sua moralidade, apresentando discursos irônicos e bastante despreocupados.

Dom Casmurro

Dom Casmurro, um clássico entre os livros para o ENEM.

Publicado em 1900, a narração é feita em primeira pessoa, com o personagem Bento Santiago, narrador protagonista, contando sobre seu passado, ou seja, os fatos são analisados sob seu ponto de vista, abrindo possibilidade pra que o leitor interprete e se posicione contra ou a favor de Santiago.

Em Dom Casmurro a narrativa mistura momentos do presente (com o narrador protagonista escrevendo a obra) e o passado (flashback, contando sobre sua adolescência, seu relacionamento com Capitu, o seminário, a amizade com Escobar, o casamento e a suposta traição com o melhor amigo).

A história se desenrola no Rio de Janeiro, passando por diversas ruas e bairros, como: Matacavalos, Glória, Andaraí e Engenho Novo. Começa a partir de um momento que marcou seu percurso pra sempre: na adolescência, quando Bento escuta uma conversa em que comentam sua proximidade com Capitu.

Machado trata a complexidade das relações humanas misturando verdade e imaginação, traição e desconfiança. O adultério permanece numa atmosfera de mistério, resultando em perguntas muitas vezes sem respostas, sendo a última publicação de sua trilogia realista, que conta com Memórias Póstumas de Brás Cubas e Quincas Borba.

A obra apresenta as intrigas e traições que aconteciam com frequência nas mansões das elites cariocas por meio de capítulos curtos e linguagem mais informal, quase como uma conversa com os leitores. Sem linearidade nos fatos contados, navegamos nas memórias ambíguas de Bento Santiago.

Manuel Bandeira

Poeta que tem como tema principal a abordagem de assuntos relacionados ao cotidiano, envolvendo cenas simples e corriqueiras, que fazem parte da rotina mesmo. Considerado como um dos fundadores do Modernismo no Brasil, também envolve elementos simbolistas e parnasianos em seus textos, sendo multifacetado. Sua obra que mais aparece nas provas do ENEM é:

Estrela da Vida Inteira

Estrela da Vida Inteira aparece como um dos indicados nos livros para o ENEM.

Publicado em 1966, consiste num conjunto de livros do autor que reúne escritos com temas cotidianos, solidificando a poesia modernista com versos livres, liberdade criativa, linguagem coloquial, irreverência e ampliação das temáticas extraindo poesia das coisas mais simples da vida.

Revela poesias ricas não apenas em construção, mas também em significação, combinando críticas e reflexões filosóficas de um jeito bastante despojado. O folclore, a cultura popular, as frustrações da vida, entre outros temas comuns são tratados espontaneamente por Bandeira.

A irregularidade métrica, assim como a falta de pontuação se configuram como uma nova forma de expressão pra sugerir rapidez nas ações. Estrela da Vida é um misto das estéticas simbolistas, parnasianas e modernistas, fazendo surgir uma poesia carregada de solidão, humor e indignação frente à poesia “pré-fabricada”.

E agora, mais tranquilo e preparado com nossas resuminhos de livros para o ENEM?

CategoriasSem categoria

Troca uma ideia com a gente!