Será que você é o que você come?

Tomar um potão de sorvete depois de um pé na bunda é um clássico do cinema, não é fominha?

Mas parece que não é só na ficção que nossas emoções estão ligadas diretamente a quantidade de nutrientes e carboidratos que a gente manda pra dentro.

Calma, esse texto não vai condenar os excessos que você comete.

Queremos só dar uma boa notícia: uma dieta equilibrada diminui a probabilidade de doenças como ansiedade e depressão.

Já pensou em trocar a visita à farmácia por uma feira no fim de tarde?

Aquelas cores todas que aparecem de bandeja pra você não só enchem os olhos e deixam qualquer foto instagramável como também possuem efeitos antioxidantes, anti-inflamatórios e neuroprotetores, que ajudam na nossa saúde física e mental.  

Para dar um up no seu “mood food”, que tal uma bananinha, um grão de bico ou sardinhas?

Esses alimentos contribuem para melhorar o nosso humor e deixar a gente felizão que nem bobo por aí.

Alimentos que contêm triptofano, teobromina, fenilalanina, tirosina, vitaminas do grupo B e C, carboidratos ou ácidos graxos ômega-3 são considerados a própria carreta furacão da alegria.

Além disso, os ácidos graxos ômega-3 são essenciais para o bom funcionamento dos neurônios.

Salmão, legumes, nozes e kiwis são riquíssimos neste quesito. Portanto, se você é estudante e anda precisando daquele help para melhorar a memória e o aprendizado, invista nesses potencializadores da capacidade cerebral. 

 “Que teu alimento seja tua medicina e tua medicina seja teu alimento”.

curte e compartilha aê